O Poder do (Seu) Ambiente

Como o Seu Ambiente pode Impactar Seus Pensamentes, Emoções e a Percepção do Eu

Traduzido e Adaptado de The Power of (Your) Space por Riceles Araújo Costa

Feche os olhos e imagine a agitação de uma rua movimentada da cidade. Carros buzinando. Pessoas se empurram com pressa. E a rua é delimitada por edifícios que parecem tocar o céu.
Agora, imagine que você está no meio de um campo aberto. A luz do sol aquece seus ombros e a grama alta ondula suavemente na brisa. Você ouve o canto dos pássaros e o zumbido sutil das abelhas.

A diferença entre essas situações é marcante. E, provavelmente, também a sua resposta psicológica e fisiológica. Os benefícios da natureza foram bem documentados, e agora é do conhecimento comum que estamos geneticamente conectados para ter uma resposta intuitiva ao nosso ambiente.

Mas como estamos conectados ao ambiente em que estamos? E quão profundo é o impacto sobre nós mentalmente, emocionalmente e fisicamente?

O Poder do Ambiente Íntimo

Em 1958, o filósofo Francês Gaston Bachelard publicou A Poética do Espaço [em PDF], que explora o impacto dos ambientes íntimos na psique humana. Bachelard sustenta que nossas mentes prosperam em ambientes que nos permitem sonhar e ficam estagnadas em ambientes percebidos como deprimentes ou opressivos.

Um estudo bem recente realizado por pesquisadores da Universidade de Illinois no Urbana-Champaign Department of Landscape Architecture examinou a relação entre o ambiente e as habilidades cognitivas dos estudantes. Eles descobriram que os alunos do ensino médio tiveram melhor desempenho nos exames quando a sala de aula possui uma vista de uma paisagem verdejante em vez de a sala de aula ter uma vista de outro prédio ou de um estacionamento ou nenhuma vista. Eles também descobriram que os alunos com uma vista ampla para o exterior tinham menos fadiga mental e se recuperavam melhor do estresse.

Mas essas descobertas não se limitam apenas aos estudantes. Os resultados são bastante similares àqueles em ambiente profissional. Em um estudo com foco em empregados em local de trabalho, o aumento da exposição à natureza no local de trabalho fez empregados sentirem menos estresse, e igualmente resultou em menos queixas generalizadas de saúde.

Talvez seja por isso que empresas inovadoras como Google, Microsoft e Pixar criaram “campi” com ambientes abertos e amplos rodeado por paisagens verdes e árvores. E por aqui na Robbins Research International, trocamos cubículos por uma planta-baixa aberta e nos mudamos para um prédio com uma estrutura com vidro que enche nossos escritórios com luz natural e vistas panorâmicas.

O Modo Como Interagimos com o Ambiente

Também percebemos nosso ambiente de forma diferente dependendo de como interagimos com ele. Pesquisadores do Reino Unido descobriram recentemente que quando exploramos uma nova área com um mapa, por exemplo, começamos então a olhar objetos uns em relação aos outros. Mas se estamos explorando um caminho sem um mapa, tendemos a pensar mais sobre o espaço em termos da sua relação com nós mesmos. Nossa perspectiva se torna completamente diferente.

O ambiente construído pode restringir ou promover a cognição espacial, que pode influenciar a própria identidade. Nossas coordenadas espaciais e nossos ‘eus’ estão entrelaçados“, afirma o relatório.

A quantidade de tempo que estamos em um ambiente em particular também pode influenciar nosso entendimento de nós mesmos. Isso sugere que ter movimento irrestrito no espaço pode nos permitir experimentar uma série de perspectivas diferentes ao longo do tempo.

A maior familiaridade que se tem com um lugar aumenta o conhecimento que se tem de diferentes perspectivas e orientações“, continua o relatório.

Com isso em mente, parece que não estamos separados do que experimentamos.

A Importância dos Ambientes Bem-construídos

Os resultados são uma clara motivação para um futuro mais inclusivo, onde todos têm acesso a ambientes que são mais propícios ao desempenho cognitivo e bem-estar. E é algo que está começando a tomar forma.

Recentemente, arquitetos e planejadores urbanos começaram a considerar as habilidades e referenciais daqueles que usam o espaço para otimizar o projeto do ambiente construído“, disseram os pesquisadores.

Nossos pensamentos, nossas emoções e, em última análise, nossa percepção do eu estão intimamente conectados ao nosso ambiente. Onde estamos tem o potencial de moldar quem somos. E talvez ainda mais importante, dada a nossa capacidade de moldar o ambiente e selecionar onde passamos nosso tempo, nos também podemos desempenhar um papel mais ativo na formação de nossas próprias vidas.

 

Leia também: Fengshui: Em Busca do Genius Loci

Receba um exemplar do e-book Fengshui.

Riceles Araújo Costa, 09/09/2017   #Riceles   #RicelesFengshui   #Fengshui